⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀

Artista Revelação do Grammy: Ariel Rechtshaid sobre HAIM

Em nossa série sobre o Grammy, “As Told To”, a Radio.com conversa com um artista sobre um indicado a Artista Revelação na 57ª edição do Grammy Awards. Hoje, o destaque vai para a banda HAIM, vista pelos olhos do produtor Ariel Rechtshaid, que ajudou a criar o álbum de estreia, Days Are Gone.
-
Muitas das pessoas com quem tenho vontade de trabalhar, e não são muitas, são pessoas que realmente me inspiram no sentido musical, de um jeito que poderia ser facilmente esquecido no mundo do hype. Hoje há tantos fatores acerca da popularidade de um artista, sem querer desmerecê-los, todos eles são bons e importantes, mas uma coisa que o HAIM tem que nem todo mundo tem — e, na verdade, pouquíssimas pessoas têm — é que elas são uma banda de verdade.

A primeira vez que as vi tocando, quando perguntaram a minha opinião, acho que disse que era “intenso”, ou algo assim. Elas não entenderam muito bem, tipo, era “estranho”? O que significava aquilo?
Eu estava sendo bem literal. Ver três irmãs juntas sobre o palco, comprometidas de um jeito... Enfim, já é bem raro ver músicos de verdade, e mesmo assim elas estão um passo à frente da maioria das bandas, porque não estão simplesmente ali em cima, tocando de forma estilizada. Parecia mesmo vir de dentro. Quase dava para ver aqueles raios de luz conectando todas elas, através dos olhos. Era uma unidade de três partes, singular e coesa.

Além de serem irmãs tocando juntas, são tão habilidosas. Isso não é algo que qualquer pessoa necessariamente adquira de outra, a não ser em um nível subconsciente. Elas tocam há tanto tempo. O pai delas é baterista, tudo tem uma origem muito rítmica. Acho que todas começaram na bateria, então até o jeito de tocar baixo da Este é tão rítmico, tão funky e tão raro. Os vocais da Danielle também são rítmicos. Elas criam um som que não soa exatamente como Michael Jackson ou Chaka Khan, mas tem o mesmo espírito. É tão... grandioso.

Você percebe pelas pessoas inspiradas pelo HAIM, que curtem a banda, tipo Fleetwood Mac, o que na verdade é uma grande honra de uma das melhores bandas de todos os tempos para outra. Já vi Jackson Browne abordá-las em um restaurante para tecer elogios, já vi Justin Timberlake se aproximar para elogiá-las e nos convidar para o seu show. É uma honra enorme. Quando trabalhei com Usher, mostrei o som delas e ele ficou impressionado.

Existe a presença pop da celebridade, e existe algo que os músicos conseguem articular, mas que acho que todo mundo sente. HAIM tem as duas coisas. Quando as ouvi tocando, praticamente larguei tudo o que estava fazendo e me dediquei durante um ano para ajudá-las a encontrar sua própria voz no estúdio. Na minha opinião, elas definitivamente são o artista revelação.

Tradução feita por: Sayuri Arakawa
Artista Revelação do Grammy: Ariel Rechtshaid sobre HAIM Artista Revelação do Grammy: Ariel Rechtshaid sobre HAIM Reviewed by Julia Novaes on 15:27 Rating: 5

Sora Templates

DESIGN BY LUDMYLA