⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀

Como Haim achou seu caminho e volta com “Something to tell you”

Daria Kobayashi Ritch para a revista Rolling Stone

Em uma noite recente, Danielle Haim enfrentou o microfone, persuadiu um riff de duas notas tremendo sua Gibson SG e tentou não pensar em Liza Minnelli e os Pet Shop Boys, que estavam olhando para ela, em um close-up extremo, em um cartaz na parede. O cartaz era um pouco tolo; A faixa que ela estava gravando era nada além de. "Eu digo adeus ao amor novamente / Na solidão, meu único amigo", ela cantou, carregando as palavras com uma dor audível.

Danielle lidera a banda de rock Haim, que formou 11 anos atrás com suas irmãs Este (baixo, vocal, percussão) e Alana (guitarra, vocais, teclados). No começo, o trio tocava na sala de estar de seus pais em San Fernando Valley, na Califórnia, e depois fez shows na cidade para multidões cada vez maiores. A estréia do debut da banda, Days Are Gone em 2013, fez de Haim estrelas. Taylor Swift é amiga da banda. U2 as convidou recentemente a seu estúdio em Malibu a discutirem algumas idéias para novas músicas.

Mas na noite de abril em que Danielle gravou "Night So Long", seu tão aguardado segundo álbum, Something to Tell You, em julho, permaneceu inacabado. Ela estava na casa da colina que ela compartilha em um bairro do leste da Louisiana com seu namorado, Ariel Rechtshaid, tentando terminar a música. Rechtshaid é um talentoso produtor que ajudou a criar música para Usher, Vampire Weekend e Adele, entre outros, e ele trabalhou com Haim desde 2012. O casal estava no estúdio, um espaço aconchegante cheio de artes e móveis de meados do século . Danielle escreveu "Night So Long" quando Haim estava em turnê. As letras lutam com sentimentos paradoxais de solidão que podem se arrastar em meio ao frenesi de realizar shows noturnos para milhares de estranhos. "Essa música veio sobre ser completamente sozinho, com um violão em uma sala", lembra Danielle uma semana depois. "Quando chegamos para tocar todas as noites, sentimos tanta sorte, mas também é isolante".

Haim são “clássicos do rock” de certa forma (tocando seus instrumentos, escrevendo suas músicas, retocando retoques ao vivo), mas elas também ajudaram a redefinir o que exatamente o termo "banda de rock" pode significar nos dias de hoje: Swift (elas dizem que suas multidões mostraram-lhes amor, apesar, ou por causa, do jam que fechou o conjunto da banda todas as noites); Colaborando em um single EDM com Calvin Harris; Alistando A$AP Ferg para um remix de uma canção que escreveram sob a influência de Timbaland.

As irmãs cresceram ouvindo toneladas de artistas diferentes, mas eram atos como Sly and the Family Stone, Talking Heads e os Gipsy Kings (seu pai mantinha uma estação de música latina “trancada” nas pré-estações do rádio do carro) aquilos as ensinou que bandas podiam embalar as pistas de dança. Haim especializam-se em um uptempo (estilo de música acelerado), som sincopado que puxa em conjunto com batidas 8o8 e guitarras disco; Nova onde de riffs e solos rugindo que não estariam fora de lugar em um Eagles encore; harmônidas iluminadas de Fleetwood Mac; E gratas bratidas de baixo de Bootsy Collins.

"Night So Long" era um um pouco distante - melancólico, esparsado, lento - e Haim não tinha certeza de como fazer isso funcionar. "Quanto mais nos preocupamos com isso, menos impactante ficava", diz Alana, sentada ao lado de Este, a alguns metros de Danielle. Por fim, eles chegaram a uma solução: elas a mantinham ultra-mínima, mas Rechtshaid arrancou um aparelho "simulador de sala" dos anos 80 chamado Quantec QRS, que ele comprou on-line de um cara na Alemanha. Ele a usou para fazer reverberação sobre o violão de Danielle. Agora a canção parecia austera e maciça ao mesmo tempo. "Parece um hino", diz Danielle. Haim toca uma mistura áspera para mim, e é um nocaute. Quando está feito, Este, empoleirado na beira de uma poltrona baixa, pergunta: "Isso lhe deu a sensação?".

Avanços requerem paciência. Haim sabe bem disso - levou sete anos para lançar seu álbum de estréia, afinal, refinar músicas, as tocar ao vivo, medir as reações da multidão, refinar ainda mais. "Se alguém escrevesse nossas músicas em vez de nós, seríamos mais rápidas", diz Alana. "Nós passamos cada som, cada batida", acrescenta Este. Gostaria de saber se Haim nunca se preocupou, como os anos desde a sua estréia se passaram, que as pessoas iria esquecê-las. Eles balançam a cabeça. "Talvez nós estivéssemos preocupadas," diz Alana, "se não achássemos que estávamos fazendo uma merda incrível."

O prazer que as Haim têm na companhia uma da outra é abundante, sem consciência e contagiante. Enquanto uma irmã fala, as outras vão assistir, sorrir e assumir o controle da sentença antes de passar de volta. Enquanto escutam canções, ela fazem ums air-drum elaboradamente. Danielle, 28, é um pouco mais reservada do que suas irmãs. Este, 31, tem um humor rápido e um senso de humor sardônico. Alana, de 25 anos, é a mais tagarela e a mais efusiva. Todas as três charmosamente desfocam a linha entre estranho e legal: Quando elas estão tentando invocar o nome de uma faixa de Cat Stevens que as inspirou, elas todos zumbem a melodia e, quando Este finalmente grita "Peace Train!" Ela e Danielle pressionam os dedos indicadores e dizem: "Bloop". Em um ponto, estamos sentados na sala de Danielle quando Rechtshaid avança rapidamente pela porta, nos surpreendendo. "Você totalmente “Kramered” essa entrada, cara!" Alana grita. - O que há, “Kramer”? Diz Este. Rechtshaid balança a cabeça: É o lugar dele, mas é como se ele tivesse entrado num clube privado.

É uma bela tarde em L.A.. Danielle está arrasando em uma camiseta dos Oakland Raiders vintage sob um blazer chunky. Alana está em uma camiseta esfarrapada com o rosto de John Belushi na frente. Este está usando um colar de lua crescente que Stevie Nicks - um grande fã Haim - deu a cada irmã como um presente. "Ela nos levou para Moonshadows", Danielle diz, "este restaurante em Malibu, e foi como," Aqui é onde costumávamos sair ", nos contando histórias sobre Don Henley e outras coisas."

No ano passado, Haim descobriu que outro artista icônico da Califórnia queria conhecê-las. "Nosso amigo estava nessa festa, e Paul Thomas Anderson estava lá também, falando sobre como ele realmente gostava" dessas garotas que tocam rock e vêm do Vale ", diz Alana. O diretor pediu ao amigo para passar para Haim seu e-mail. Logo, elas se encontraram para jantar com Anderson e sua esposa, Maya Rudolph ("Uma das pessoas mais engraçadas do planeta", diz Este). Anderson disse que queria filmar alguma coisa com eles. "Foi como, 'Uh, você poderia nos filmar em um iPhone por uma hora se você quiser'", diz Alana.


Em novembro do ano passado, Anderson foi até Haim como estabelece pistas preliminares em um estúdio de gravação no Valley chamado Valentine. O estúdio tinha deixou de operar nos anos setenta e estava congelado no tempo, desde o equipamento até as "revistas pornô vintage", lembra Alana. Enquanto Haim elaborava arranjos, Anderson circulava com uma câmera de filme. "Na sala, parecia nada", diz Rechtshaid, "e nós estávamos, 'Uh, isso está funcionando?'" "Ele estava tipo, 'Sim, entendi, perfeito'", diz Alana. "E quando vimos os jornais, foi tipo, 'Eureka!'" Haim decidiu usar clipes desta sessão improvisada - Danielle atrás de um kit de bateria, batendo uma batida de monstro; O trio sentindo o seu caminho através de uma versão áspera de uma canção chamada "Right Now" - para promover “Something to Tell You”.

Acontece que elas tinham outra conexão com Anderson: Ele também cresceu em Valley, e Donna Haim, era sua professora de arte da escola primária. "Ela nos disse que ele era um garoto muito talentoso", diz Alana, "mas realmente hiperativo, e que ela o amarrou a sua cadeira com fio uma vez, para fazê-lo ficar quieto." Ela ri. "Isso era antigamento – agora não é legal!"
Quando elas disseram à Anderson: "Ele nos mostrou esta pintura da montanha do Contatos Imediatos de Terceiro Grau. Ele estava tipo, 'Eu amo sua mãe - eu pintei isso com ela.'" "Nós temos esse relação do Valley com ele" Danielle diz. Este acena com a cabeça: "A conexão é profunda."

As raízes de Haim no Valley são fundamentais para a sua auto-concepção. Sua mãe mudou-se da Pensilvânia para a Califórnia em seus vinte anos, indo para a área do ensino e se apaixonando pelo paide suas filhas, Mordechai, um jogador de futebol profissional em Israel e que agora trabalha no setor imobiliário. Os pais juntaram as meninas para tocar em uma banda familiar chamada Rockinhaim - feiras de rua, capas de rock clássico - ensinando-as a tocar a bateria antes de qualquer outra coisa, o que ajuda a explicar a ênfase de Haim no ritmo e nos grooves hoje. Para todo seu sucesso, descrevem suas vidas em Los Angeles como extremamente discreta. Alana acabou de receber uma conta no Amazon Prime e tem filmado documentários. Danielle gosta de ficar e cozinhar. O passatempo favorito de Este é ir ver filmes de terror sozinha ou "assistir MasterChef Junior e chorar nestas crianças pequenas."

Valley permanece como um objeto de zombaria em L.A .: uma zona de déclassé, cheio de lojas de corrente e fotos pornográficas. Haim sentiu este esnobismo crescendo. Algum cara de uma festa certa vez perguntou à Este seu número, e ela disse "818" - o código de área do Valley - antes que ele a interrompesse e disse: "Desculpe, mas eu não saio com 818. " ("Você sabe" Alana diz, rindo. "Ele que tá perdendo.") Em contraste, Haim se refere ao Valley como " Great One Eight. " Danielle e Alana agora têm casas no lado leste de L.A., é um passeio curto no 101 de seus pais. Este tem um lugar "a 10 minutos da casa de nossos pais", diz ela, sem mencionar no mesmo bairro que a casa de infância de Anderson: "Eu nunca vou deixar o Valley, cara."


Haim na Disney em 1996.

Na manhã seguinte, Haim se reune para ir ao Du-par, um jantar em Studio City, onde elas comem desde que eram crianças. "Este lugar parece como se estivesse em casa", diz Alana, apontando para o tapete de estampas florais e para cima no teto do escritório dos anos noventa. Eles recomendam as panquecas, mas pedem ovos - é Páscoa, e como judias, elas não podem comer pão levedado. Em poucas horas elas vão para um lugar de ensaio próximo - elas têm alguns shows ainda não anunciados chegando em breve, com uma turnê de verão a seguir.

Elas estão empolgadas para voltar a tocar. Days Are Gone vendeu 90.000 cópias em sua primeira semana, e Haim foi para a estrada parte a melhor parte de dois anos. Eles encabeçaram suas próprias turnês, e apoiaram não só apenas Swift, mas também Rihanna, Florence ans the Machine, habituando-se a encher salas enormes com um som gordo e arrogante. Em outubro de 2014, em uma pausa com as turnês, "Voltamos a escrever para o próximo álbum", diz Danielle. "Nós não queríamos tirar folga, mas nada realmente ficava." Alana explica a dificuldade de seguir por esse caminho: "Tudo o que sabíamos por dois anos foi acordar, soundcheck, tocar o show, ir dormir e encaixar uma fatia de pizza em algum ponto. Precisávamos transformar nossos cérebros de shows em cérebro de volta à escrita. Quando chegamos em casa, nós literalmente descemos do ônibus, tiramos uma soneca e fomos direto para o estúdio. " "Qual era a sala dos nossos pais", Danielle esclarece. "Durante quatro meses, tentamos fazer canções, tentando escrever algo todos os dias ..." "Mas nós éramos muito duras em nós mesmos", Alana interrompe. Danielle continua: "Nós escreveríamos coisas, mas sempre era como ..." "Isso é bom?" Este termina, arranhando o nariz. Alana acrescenta: "Você fica assustada, como, 'Podemos fazer isso de novo?'".

Sua descoberta foi o que Danielle se refere como "uma tarefa de casa.Temos um chamado para escrever uma música para Trainwreck (Com lançamento em português com o nome de Descompensada)" - o filme de Amy Schumer - "e nós estávamos, 'Vamos ver se podemos fazer isso." "De repente, Não havia esse peso assustador, abstrato e de segundo CD pendurado sobre nós ", lembra Alana. "Foi, 'Você tem uma semana.'" Eles vieram com um doce brilhante, bouncy chamado "Little of Your Love", e mesmo que o pessoal de Trainwreck não tenha obtido a música, Haim ficaram satisfeitas mesmo assim. "Voltamos a escrever coisas do tipo 'como você está se sentindo'", diz Alana. "Depois disso, escrevemos centenas de músicas, era como vômito."

Elas decidiram que, ao invés de tentar rever o som elegante mas forte que eles cunhavam em Days Are Gone, elas mergulhariam mais fundo nele. Eles colocaram um pouco menos ênfase desta vez no estúdio fuckery, diz Danielle, focando em algo mais robusto para sua composição . Mas o álbum está cheio de agrados auditivos- vocais estranhos, processados; Batidas que misturam eletrônica e acústica; E outros doodads sônicos que Rechtshaid descreve, auto-depreciativamente, como "merda de produção". (Dev Hynes e Rostam Batmanglij também ajudaram em algumas faixas.)
As origens "Night So Long" são solitárias, mas as irmãs Haim preferem trabalhar canções "no quarto, juntos", diz Este. Alana diz que "a maior parte de nossas músicas começam com um track - bateria, um piano", que elas arruinam e gravam em GarageBand. Às vezes, acrescenta Danielle, "é um riff, ou uma palavra ou uma frase, e construímos isso.”

Em várias das letras em Something to Tell You, Danielle balança de arrependimento para recriminação. "Eu era muito orgulhosa para dizer que eu estava errada", ela pede desculpas no single "I Want You Back", acrescentando mais tarde: "Eu vou te dar todo o amor que eu nunca te dei antes de te deixar." Em "Right Now", porém, ela canta, "Você me teve pendurada em um sonho que você nunca acreditou." Quando pergunto em que experiências essas letras se baseiam, ela diz que sua conexão com relacionamentos reais dela não é sempre direta, e que ela é "um pouco desconfortável" discutindo sua vida pessoal publicamente. "Se eu estou me sentindo em algum modo nós começamos a escrever", ela acrescenta, "Eu não entendo completamente meus sentimentos até que a música é feita e fora por aí no mundo. Foi assim que foi com o último álbum. Eu vou começar a descobrir o que muitas dessas novas músicas significam em dois meses, ou algo assim."

Mas no caso de "Right Now", Alana diz que não há nenhuma ambigüidade: ela vê isso como uma ode. "Eu cresci ouvindo Tom Gotty 'You Got Lucky', onde todo o tema é, 'Você tem sorte de estar comigo'", diz Alana. "Eu realmente nunca ouvi uma canção que dizia isso do ponto de vista de uma mulher: Ser mulher em uma posição de poder e namorar alguém, na minha experiência, é difícil. Você precisa de um homem forte o suficiente para parafrasear Sheryl Crow".

Danielle acrescenta: "Nós lidamos muito com isso – não só em namoro, mas apenas sendo as presidentes de nossa empresa. Afirmar nosso poder - às vezes é difícil."

"Eu fui "acusada" de cercar pessoas em festivais," Alana diz, molhando seus ovos em molho de Cholula quente. "Eu peguei um carrinho de golfe uma vez e o cara disse: 'Senhorita, saia.' Eu disse: 'Eu toco na banda Haim'. Ele disse: "Nunca ouvi falar de você, por favor, saia." Ela balança a cabeça, ainda irritada pela memória. "É assim que você olha para mim, de verdade? Eu não poderia estar em uma banda - eu devo ser a namorada de alguém."

Então ela sorri. "Eu estava tipo, 'Estou usando pijama cachorro, bruh. Você não quer mexer comigo!'"


Fonte

Tradução e adaptação: Julia Novaes
Como Haim achou seu caminho e volta com “Something to tell you” Como Haim achou seu caminho e volta com “Something to tell you” Reviewed by Julia Novaes on 15:52 Rating: 5

Sora Templates

DESIGN BY LUDMYLA